12 de julho de 2016

Depressão pós-parto, como se prevenir?

A depressão pós-parto acomete muitas mulheres e costuma ter uma maior incidência em mães de primeira viagem.


O primeiro ponto que deve ser ressaltado meninas, é que a depressão pós-parto não se trata de algum tipo de “probleminha” superficial e pouco tem a ver com a sua “força” para lidar com o seu quadro emocional.
Quando temos um filho, rapidamente várias mudanças bruscas ocorrem na nossa vida de uma só vez, e devido a todo o estresse do mundo moderno esse quadro esta se tornando cada vez mais comum.
São sintomas comuns na depressão pós-parto : humor deprimido por vários dias, perda do prazer nas atividades, perda do apetite, insônia, cansaço, sentimento de inutilidade, pensamentos de morte ou suicídio.

Entendendo a depressão pós-parto

A depressão pós-parto acontece por vários motivos. Veja a lista de alguns motivos que pode ajudar você a desenvolver a depressão pós-parto:


1. A ansiedade de ter o seu bebê

Principalmente para as mães que vão ter o seu primeiro filho, é muito comum que essa ansiedade se exacerba um pouquinho.
Sendo assim, todas as questões que envolvem ter um filho e uma criança após o parto rapidamente se tornam uma realidade e a quantidade de informações para lidar se torna muito grande.
Com esse grande volume de informações é natural que você se sinta ansiosa ou até mesmo entre em depressão por não saber muito bem o que fazer. Esse ponto normalmente é o “estopim” da sua depressão pós parto.


2. Seu quadro hormonal

Quando damos a luz o nosso corpo muda e passa por um estresse muito grande. Grandes variações hormonais acontecem e isso claramente afeta o nosso humor.
Talvez a sua tristeza pós-parto pode estar relacionada apenas a esse ponto especifico. 
Nesse caso, é ressaltada a importância de uma boa equipe multidisciplinar que esteja fazendo parte do acompanhamento da sua gestação. Uma endocrinologista nessas horas é fundamental ( assim como um psicólogo ).


3. Fatores externos

Esse pode ser um dos fatores mais importantes que podem levar você a desenvolver uma depressão pós-parto. Caso você sinta que não tenha um ambiente seguro ou “preparado” para ter o seu filho, certamente você poderá desenvolver uma depressão. Uma das causas mais comuns é a falta de apoio da família ou até mesmo do seu cônjuge.

Como prevenir?

Agora que você já sabe um pouquinho das causas, é importante que você saiba como prevenir a depressão pós-parto. Veja abaixo alguns pontos.


1. Converse com seu marido e com sua família

Se você está se sentindo sozinha ou com dúvidas em relação a todo o processo de ter o filho ( é muito comum as mães pensarem se estão no “caminho certo” ou se realmente estão “preparadas” para isso ) converse com a sua família.
É de vital importância que você comece a expor seus medos e que você perceba que nem tudo é tão ruim quanto parece e que na verdade você não estará sozinha. 


2. Aceite todo o processo

É de vital importância que você aceite o processo. 
Quando você passa a aceitar tudo que está acontecendo, você automaticamente perde um pouco daquele fator estressante que antes te incomodava.
Um filho na vida da gente é um grande passo que na verdade nós raramente estamos preparadas. Embora seja um pouco assustador, muita coisa se resolve sem muitos problemas e tudo isso faz parte da vida.


3. Procure socializar na sua gestação

Esse também é um importante ponto para a prevenção. Muitas mães ficam em casa desesperadas apenas pensando em como vai ser a sua experiência com o seu filho. 
Em um primeiro lugar é importante que você passe a se cercar de pessoas que realmente tiveram filhos e principalmente da sua família, eles vão te dar todo o conforto necessário.
Em um segundo lugar é de profunda importância que você tenha uma vida normal e descontraída enquanto está no período de gestação. 
Quanto mais você se preocupar durante esse período e não fizer escolhas que vão te fortalecer, mais chances você terá de desenvolver a depressão pós-parto. 


4. Tenha um ambiente positivo

Assim como a maioria das mães o ambiente é uma coisa que realmente faz uma diferença tremenda na vida da gente. 
É importante nesse caso tentar “moldar” um ambiente positivo para você seu bebê e seu marido, assim você se sentirá mais segura e mais confiante sabendo que todas as situações para a vida do seu recém chegado filho já estarão solucionadas.
Mas um aviso, não se estresse muito nesse processo. Até por que muitas coisas vão surgir no meio do caminho, e acredite, elas não serão tão difíceis assim e você com certeza saberá o que fazer.


Sabendo todas essas informações sobre depressão pós-parto é importante que você entenda que tudo isso pode ser prevenido se você começar a ter uma postura proativa em relação as coisas que te tiram o sono.
Também é importante ressaltar que na maioria dos casos não há a necessidade de medicamentos como fluoxetina ou outros antidepressivos – que alias nesse momento podem ser extremamente prejudiciais, como mostra no Portal FimPRO.
No entanto, pode ocorrer uma necessidade de uma reposição hormonal ou até mesmo de uma psicoterapia caso você tenha um quadro um pouco mais agravante – que na verdade, costuma ser um pouco mais raro.
Portanto, não se preocupe e procure se fortalecer em toda a sua gestação, para que assim você esteja pronta para o seu bebê e para sua nova família.

Bom, pessoal, por hoje é só! Espero ter ajudado e até a próxima ;)

*Este post é colaboração de 


Um comentário:

  1. Ei Gleysa!

    É preciso muita informação para prevenir um problema que é tão sério.

    Beijo!

    ResponderExcluir

Eu e Heitor adoramos saber a sua opinião!
Responderei as perguntas por email!

Forte abraço de mamãe ursa!