31 de março de 2015

Hipertensão entre as crianças

Hábitos sedentários, má alimentação e questões genéticas são os principais fatores para hipertensão na infância



A hipertensão entre as crianças é um problema cada vez mais comum na atualidade, isso de acordo com especialistas, graças também aos hábitos modernos como: alimentação rápida por meio dos fast foods e sedentarismo desde cedo. A televisão e os vídeos games estão entre as principais ferramentas que atrapalham as crianças no seu desenvolvimento físico saudável. Enquanto assistem geralmente beliscam alguma guloseima, isso sem contar a ausência de atividade física. 
Os aparelhos eletrônicos também podem ser educativos e ajudarem no desenvolvimento cognitivo da criança, mas deve ser inserido no dia a dia com moderação para que futuramente não exista problemas como ganho de peso e consequentemente a pressão alta. 
Em crianças os problemas de pressão comuns é do tipo primária, o que deve também ser levado em conta a genética e problemas na família. A pressão alta entre as crianças é diagnosticada quando a pressão máxima (sistólica) e a baixa (diastólica), está acima de 95% das demais crianças do mesmo sexo e faixa etária. Vale também observar o estilo de vida da criança, alimentação e peso. 
A Sociedade Brasileira de Hipertensão aponta a presença da doença em 5% de aproximadamente 70 milhões de  crianças que vivem no país. É importante realizar o procedimento clínico desde a infância e checar a pressão com o auxílio do aparelho adequado para crianças.

A atenção não deve ser voltada somente para as crianças acima do peso, mas como também para as magras

Quando falamos de pressão alta, também associada aos hábitos de má alimentação e ganho de peso, logo ligamos essa problemática mais comum entre as crianças gordinhas, mas os médicos explicam que isso não é regra. Crianças magras também podem sofrer de hipertensão, ligadas também a questões genéticas e quadros na família. 
É  comum crianças magras também apresentarem níveis de colesterol elevadíssimos, isso origina-se principalmente da alimentação rica em gorduras saturadas, como frituras e pouca ingestão de água e nutrientes saudáveis para as funções do organismo. A criança que sofre que colesterol alto passa por alterações metabólicas lipídicas e o aumento da triglicérides nas correntes sanguíneas. O acúmulo de gordura na corrente sanguínea futuramente pode trazer graves consequências como a doença aterosclerótica, coronárias, entre outras. 
Para evitar essas complicações é importante acompanhar a alimentação do seu filho. Certifique-se de que diariamente exista a ingestão de refeições básicas como arroz, feijão, saladas, legumes e evitar ao máximo o consumo de frituras, principalmente as desejadas batatas fritas,  lanches e refrigerantes.
Outro acompanhamento importante é inserir desde cedo o hábito de beber água. A água é o nutriente essencial para saúde das crianças e limpeza de todo organismo no combate a diversas doenças. Não existe saúde na ausência de água.  




Um forte abraço,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu e Heitor adoramos saber a sua opinião!
Responderei as perguntas por email!

Forte abraço de mamãe ursa!